Notícias sobre Chupeta

1. Afinal, a chupeta é prejudicial ou benéfica à criança?

A chupeta, com uso indeterminado, frequência grande e por muitos anos acaba sendo prejudicial ao bebê afinal, nenhum ser humano deveria ficar fazendo sucção após o período de amamentação!

 2. Quais benefícios ela traz à criança? É verdade que acalma, desestressa e aconchega a criança?

 O benefício da chupeta é o de promover a sucção exercitando os músculos faciais do bebê, gerando cansaço e permitindo que o bebê concilie o sono mais facilmente. Em alguns casos o relaxamento da criança não ocorre apenas com o ato da amamentação permanecendo ainda desconfortáveis por não conseguir se acalmar e conciliar o sono. Para isto indica-se a chupeta.

 3. E que malefícios traz à criança? Entorta mesmo os dentinhos? Causa dependência? Aumenta a incidência de infecção no ouvido? Atrasa o desenvolvimento da fala?

 São vários os prejuízos causados tais como a alteração da arcada dentária levando ao comprometimento da mordida (oclusão) da criança, denominada de mordida aberta, gerando deformidades que muitas vezes deverão ser corrigidas.

Causam má postura lingual prejudicando a fala e deglutição.

Ocorre também comprometimento da mastigação uma vez que os músculos necessários para tal não são estimulados gerando casos de crianças que ficam com hipotonia muscular deixando-as com preguiça e cansaço de mastigar alimentos sólidos. Reflete no crescimento e desenvolvimento facial. Pode ser o veículo de transmissão de doenças por estarem sempre se contaminando. Podem levar a criança a ter problemas em seu desenvolvimento emocional, infantilização, quando deixam a chupeta ser usadas por vários anos seguidos por confundir suas atitudes em relação a sua idade.

4. Quando os pais devem oferecê-la à criança, em que situações?

 A chupeta só deve ser indicada quando o bebê realmente não consegue saciar sua necessidade de sucção durante o momento da amamentação. Se mesmo depois deste momento a criança persiste irritada e sem conciliar o sono por vários momentos em diversos dias, muitas vezes é sugerido o uso da chupeta. Em casos em que a criança já demonstra ter hábitos de sucção de

 dedo, desde seu nascimento, também se indica a chupeta por esta causar menos prejuízo ao bebê quando comparado ao dedo.

 5. Existe tempo limite por dia?

A chupeta deve ser utilizada somente nos momentos em que a criança vai dormir para auxiliara conciliar seu sono. Após isso, deve-se remover a chupeta de sua boca diminuindo frequência e vicio de sucção por mais tempo.

6. A partir de que idade a criança poderia ter o primeiro contato com uma chupeta?

A chupeta só deve ser indicada quando o bebê realmente não consegue saciar sua necessidade de sucção durante o momento da amamentação. Se mesmo depois deste momento a criança persiste irritada e sem conciliar o sono por vários momentos em diversos dias, muitas vezes é sugerido o uso da chupeta. Se ela não precisar de chupeta não deve-se indica-la de forma alguma!

7. E quando é o momento de tirá-la da criança em definitivo?

 Quanto mais cedo removê-la, melhor. Deve-se respeitar a individualidade de cada criança, mas, a princípio, após o primeiro ano de vida deve-se estimular a criança a mastigar e não mais a sugar!

8. A criança deve ter uma chupeta ou várias?

Uma chupeta é mais que suficiente. Quando esta ficar velha devido uso troca-se por outra.

 9. Elas se diferem apenas no tamanho ou também na anatomia (então variar a chupeta evitaria dentinhos tortos)? Quais seriam as mais indicadas?

 As chupetas com forma ortodôntica ou anatômicas são as menos prejudiciais. Toda chupeta causará alteração nas arcadas dentárias e posições dos dentes na mesma. Sendo assim, quanto menor o seu uso menor prejuízo a criança terá.

 10. E de quanto em quanto tempo deve trocar a chupeta?

A troca da chupeta depende do material que é feito, latex ou silicone, da frequência de uso e forma de cuidados com a mesma. Quando se perceber que ela já não está adequada, deve-se troca-la.

 11. E como estimular a criança a largar a chupeta? Que dicas podemos dar aos pais?

O ideal é diminuir cada vez mais a frequência e tempo de uso da chupeta para a criança ir se acostumando a ficar cada vez menos com ela. Para retirar totalmente deve-se levar em consideração a idade e personalidade da criança e dos pais!!! Pais que se sentem inseguros e com medo de remover a chupeta acabam tendo mais resistência das crianças para enfrentar este momento. Pais mais seguros e determinados fazem a sua remoção com mais tranquilidade pois as crianças percebem esta segurança e deixam a chupeta com mais facilidade. Importante, portanto, é trabalhar bem este momento com os pais para não gerar stress e frustrações a todos nesse momento delicado.

Dra. Marcia Amar
Mestre e Especialista em Odontopediatria

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário

*