E a pasta dental? Com ou sem flúor?

Esta é a pergunta que tem sido feita em muitos consultórios e gerado muita discussão sobre este assunto.

Antes de entrar na discussão devo lembrar que prevenção da cárie envolve também práticas de higiene bucal, cuidados nutricionais, uso racional do açúcar e saúde geral da criança. Somente a partir disto pode-se avaliar a necessidade da criança de forma individual para indicar a pasta dental a ser usada, com ou sem flúor!

A recomendação da Associação Brasileira de Odontopediatria é que os pais procurem orientação de um odontopediatra para que este possa avaliar as necessidades individuais da criança e determinar o tratamento curativo ou preventivo. Deve-se lembrar que cada caso é um caso!!! Crianças que têm, uma dieta saudável, satisfatória higienização e baixo risco em desenvolver a doença cárie podem optar pelo uso de cremes dentais sem flúor. Entretanto, para crianças com uma dieta rica na frequência de uso de açúcar e higiene bucal insatisfatória, a pasta com flúor pode ser indicada mas somente o dentista é capaz de avaliar a necessidade de cada criança.

A maioria dos dentifrícios infantis possui flúor em sua composição pois acredita-se que este componente auxilia a diminuir a incidência da doença cárie na população mesmo assim vale ressaltar que estes não devem ser ingeridos pois com a frequência constante de ingestão, podem alterar a estrutura dos dentes em formação, causando manchas e em casos mais graves, ocorrem manchas amarronzadas e perda de estrutura dental que são indícios de intoxicação denominada Fluorose.

Devido a isto, deve-se levar em conta a idade da criança. Quanto menor a criança, maior o risco de intoxicação pode haver pois esta não consegue ainda cuspir a pasta e, assim, acaba por ingerí-la o que causa o risco de causar danos a saúde.

Existem outros tipos de pastas dentais presentes no mercado. Algumas delas só possuem sabor agradável para estimular o momento da escovação. Já outras possuem em sua composição substancias que podem auxiliar a reduzir ao risco de desenvolvimento da cárie.

Para uso em bebês e crianças até três anos de idade, no mínimo, não deve-se usar a pasta com flúor mais que uma vez ao dia, se esta for indicada. Nas outras horas em que se for realizar a escovação, os pais devem usar para a criança pasta sem flúor.

As pastas com flúor são inúmeras no mercado. Se for recomendada, deve-se indicar as pastas com 1000ppm flúor e de uso infantil. Marcas mais comuns são Colgate Smiles e Oral B Stages.

Já as pastas sem flúor podem ser utilizadas sem reserva por bebês e crianças maiores. As mais conhecidas são, Bitufo e Condor.

Existem pastas sem flúor mas que possuem em sua composição produto que pode auxiliar a combater a cárie sem ser tóxico. Exemplo disto são as pastas que contém óleos essenciais antibacterianos e antifúngicos, InPhlOral, ou com xilitol, First teeth e Malvatrikids, ou calêndula, Weleda, que possam auxiliar a prevenir a cárie pois possuem componentes em sua fórmula indicados para isto.

Lembre-se de avisar o cliente de que a pasta dental fluoretada não deve ficar nunca a disposição da criança pois se ingerida em excesso, dependendo da idade da criança pode levar a sérios problemas gastrointestinais e intoxicação aguda e que a escovação durante a infância deve ser sempre feita sob a supervisão dos pais.

Boas vendas!! Marcia Amar

Ainda não há comentários.

Deixe um comentário

*